Diante de inúmeros problemas cardíacos a que estamos submetidos, não são poucos os tratamentos de cardiologia que podem nos ajudar a conviver melhor com as doenças mantendo-as sem progressão ou, até mesmo, extinguindo-as. Consultar um cardiologista regularmente é fundamental para a realização de diagnósticos precisos, ações preventivas e também para prescrição do melhor tratamento possível para os problemas cardíacos:

 

Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS)

O tratamento pode acontecer com ou sem medicamentos – o que vai depender do nível da pressão arterial do paciente. Caso seja uma elevação inicial pequena, o tratamento acontece sem remédios, mas com mudanças de hábitos, como parar de fumar, praticar exercícios físicos e perder peso. São até seis meses de observação para que a pressão se equilibre. Caso isso não aconteça, são prescritos medicamentos anti-hipertensivos variados e que são específicos para cada tipo de paciente. Vale ressaltar que para a maiorias dos casos não existe cura e sim controle da situação do paciente. O adequado tratamento previne derrames cerebrais (AVC), doenças do coração como dor no peito por infarto ou angina e falta de ar por aumento do coração, perda de funcionamento dos rins e alterações na visão.

 

Coronariopatia

A prevenção do infarto e da angina do peito deve sempre estar em primeiro plano, através de hábitos saudáveis de vida como exercícios físicos, não fumar, alimentação adequada e controle do estresse. Quando o problema se manifesta, temos disponível um tratamento eficaz que será avaliado para cada paciente. O uso de medicamentos e a possibilidade de realizar uma angioplastia através de cateterismo para desobstruir a circulação de sangue nas coronárias com o implante de stent ou até mesmo a necessidade de cirurgia cardíaca de pontes de safena e mamária será decidido pelo seu cardiologista.

 

Valulopatias

As doenças das válvulas cardíacas não podem ser curadas com o uso de medicamentos, porém o controle adequado de alguns fatores pode retardar ao máximo a necessidade de reparo cirúrgico.  Em casos de alterações importantes das válvulas, o cardiologista pode indicar a correção antes mesmo que apareçam sintomas, prevenindo que o coração tenha sequelas permanentes. Hoje em dia, tanto o reparo como a substituição da válvula cardíaca podem ser realizados através de um cateterismo ou pela cirurgia do coração.

 

Arritmias

São diversos tipos de arritmias cardíacas e a escolha do tratamento varia de acordo com a condição de cada paciente. Alguns casos podem ser controlados com o uso de medicamentos antiarrítmicos ou também com a suspensão de substâncias que provocam as arritmias como remédios, suplementos alimentares, álcool e drogas ilícitas. Além de medicamentos, são propostas quatro possibilidades a depender do problema específico: cardioversão elétrica, ablação por cateter, implante de marca-passo e implante de desfibrilador cardíaco.

 

Insuficiência Cardíaca

O tratamento envolve a ingestão reduzida de líquidos e sal na dieta, associado a perda de peso, controle da pressão arterial e seguimento correto da prescrição médica. Os medicamentos utilizados são diuréticos para resolução da falta de ar e inchaço, além de remédios que evitam que o coração continue dilatando e enfraquecendo. Casos mais graves podem apresentar uma ótima resposta ao implante de um marca-passo ressincronizador dos batimentos cardíacos e situações extremas necessitam de um transplante cardíaco.

Trate o seu coração com quem entende do assunto. Ligue e agende uma consulta com o Dr. Glauco Bonato e saiba tudo sobre o seu problema cardíaco.