O marca-passo é um pequeno aparelho que envia pulsos elétricos imperceptíveis para normalizar os batimentos do coração, quando eles estão muito devagar. Os marca-passos atuais são pequenos, altamente seguros e contam com modernos recursos de funcionamento. Entretanto, existem mitos que geram confusão e incerteza entre aqueles que recebem um marca-passo.

Para proporcionar uma melhor qualidade de vida, preparamos um guia de orientações sobre os cuidados necessários e procuramos sanar as principais dúvidas em relação ao marca-passo cardíaco.

APÓS A CIRURGIA

Antes da alta hospitalar, será fornecida uma carteirinha com as informações sobre o aparelho, o fabricante e o contato do seu médico (carteirinha de identificação do portador de marca-passo). É importante que o paciente tenha sempre consigo este documento.

Nos primeiros dias após a cirurgia de implante de marca-passo, evite fazer força ou apoiar sobre o braço do lado operado. É recomendado o repouso relativo por 1 mês após a cirurgia, período em que ocorre a fixação dos eletrodos no coração. Nesta fase, podem ser realizadas pequenas atividades do cotidiano, desde que se tenha cuidado de não pegar peso, nem elevar o braço do lado operado acima da altura do ombro. Esforços físicos maiores e direção de veículos podem ser retomados após a primeira avaliação do aparelho, que é feita em 30 dias.

CUIDADOS COM O CURATIVO

Nos 3 primeiros dias após a cirurgia, é necessário realizar a troca de curativo diariamente. Primeiro, limpe a ferida com gaze estéril embebida em solução antisséptica (álcool 70%, álcool iodado ou clorexidina alcoólica). A seguir, limpe ao redor da ferida. Por fim, cubra a ferida com uma gaze dobrada e feche com o esparadrapo ou micropore.

Após 3 dias, o ferimento deve ser mantido limpo, seco e exposto ao ar (sem curativo). Os pontos que fecham a pele são absorvidos naturalmente e não necessitam ser retirados. Evite a exposição ao sol e, após a cicatrização completa, use protetor solar para evitar uma coloração da cicatriz diferente do restante do corpo.

CELULARES

O uso de celulares está entre as dúvidas mais comuns do portador de marcapasso. Os celulares podem ser usados normalmente no ouvido do lado oposto ao que foi colocado o marca-passo. Desta forma, é respeitada a distância recomendada de 15 cm entre o celular e o dispositivo. Evite colocar o celular em bolso de camisa.

PORTAS DE BANCOS E AEROPORTOS

Os detectores de metal podem perceber a presença do marca-passo, mas não desregulam o aparelho nem causam defeitos em seu funcionamento. Orientamos estar sempre com a carteirinha de identificação do portador de marca-passo e apresentá-la em portas de bancos e em aeroportos para evitar o transtorno de ficar retido pela detecção do dispositivo.

MICRO-ONDAS

A atual blindagem dos fornos de micro-ondas torna a possibilidade de interferência com o marca-passo muito pequena. Ao usar o forno de micro-ondas, afaste-se com um passo para trás quando ele estiver em funcionamento. Não é preciso sair da cozinha ou ter receio de danificar o marca-passo.

ELETRODOMÉSTICOS E ELETRÔNICOS

O aterramento adequado das instalações elétricas e a correta manutenção e utilização dos aparelhos elétricos são cuidados que devem ser adotados por todo portador de marca-passo. Dessa forma, os aparelhos eletrônicos como telefone sem fio, controle remoto, televisão, aparelho de som e eletrodomésticos (liquidificador, batedeira, ferro-elétrico, entre outros) podem ser utilizados normalmente. Não há restrição também àqueles que geram pequenas vibrações, como barbeadores elétricos, escova de dente elétrica e massageadores.

CHOQUES

Os marca-passos cardíacos não causam choques no paciente e também não atraem raios de chuva. Alguns sintomas, como pequenas contrações musculares próximas ao gerador do marca-passo e contrações que parecem soluços, podem ocorrer e são resolvidas com ajuste da programação do gerador, realizada pelo cardiologista especialista em marca-passo.

O desfibrilador cardíaco (CDI) é capaz de tratar arritmias através da emissão de choque, porém este dispositivo é específico para alguns pacientes com doenças graves do coração.

COLCHÃO MAGNÉTICO

ATENÇÃO: Colchões magnéticos são proibidos aos portadores de marca-passo. Eles podem alterar o funcionamento do aparelho e acelerar o desgaste da bateria. Além disso, deve-se evitar a proximidade de imãs com o gerador de marca-passo.

PRÁTICA DE ESPORTES E ESFORÇOS FÍSICOS

A prática de atividades físicas está recomendada para toda a população, inclusive para os portadores de marcapasso. No entanto, alguns cuidados devem ser tomados por esses pacientes. Para preservar a integridade dos eletrodos do marca-passo, recomenda-se evitar esportes que possam causar impacto sobre o marcapasso (ex: lutas), que precisem de movimentos repetitivos com grande amplitude do braço (ex: natação) e que exijam da musculatura próxima ao gerador (músculo peitoral).

EXAMES MÉDICOS

Os pacientes com marca-passo podem realizar a maioria dos exames médicos, incluindo mamografia, tomográfica computadorizada, raio X, ecocardiograma e ultrassonografia. O exame de ressonância magnética merece algumas considerações, que serão descritas em um item a parte.

RESSONÂNCIA NUCLEAR MAGNÉTICA

Os novos marca-passos são compatíveis com a realização de ressonância magnética. No entanto, seu cardiologista deve ser consultado previamente, pois é necessário realizar uma programação do dispositivo horas antes da realização do exame. Alguns marca-passos não estão liberados para realização da ressonância. Consulte seu cardiologista!

EM CASO DE CIRURGIAS

Procedimentos médicos que requerem o uso de bisturi elétrico precisam de avaliação prévia do marca-passo pelo cardiologista, que realizará um relatório ao médico cirurgião sobre as orientações e cuidados necessários para o transcorrer normal da cirurgia.

REVISÃO DO MARCA-PASSO

É importante realizar revisões do marca-passo a cada 4 a 6 meses com seu cardiologista. Os modernos marca-passos possuem diversas funções, que devem ser ajustadas para seu perfeito funcionamento. Durante a avaliação, é acessado o registro de todos os batimentos do coração. Ficam gravadas eventuais arritmias que possam ter ocorrido, permitindo reavaliar os medicamentos em uso e adequar as funções do marca-passo, de acordo com a necessidade do seu coração.

E QUANDO A BATERIA ACABAR?

IMPORTANTE! Os marca-passos são dispositivos eletrônicos extremamente seguros. Desta forma, não espere que ocorra um esgotamento inesperado da bateria. Durante as consultas periódicas, seu cardiologista lhe informará qual a duração ainda existente da bateria do seu aparelho. Antes que chegue ao fim, será avisado sobre a necessidade da troca da bateria com aproximadamente 6 meses de antecedência. Por isso, não deixe de realizar o acompanhamento indicado a cada 4 a 6 meses. O procedimento envolve a troca de todo o gerador que fica abaixo da pele, e não somente da bateria. Normalmente, os eletrodos que vão até o coração são mantidos se apresentam funcionamento normal. A cirurgia é de simples execução e é feita sob anestesia local.

 

Qualquer outra dúvida que ocorra pode ser retirada com o cardiologista durante as consultas ou pelos nossos canais de atendimento disponíveis no site.