O Holter na prática médica

O cardiologista que cuida de pacientes com sintomas que remetem à possibilidade de arritmias cardíacas utiliza o exame de Holter na sua prática diária como uma de suas principais ferramentas diagnósticas. Seu período estendido de gravação torna o resultado deste exame cardiológico, frequentemente, decisivo no tratamento a ser escolhido para restaurar a saúde do paciente.

Trazemos alguns exemplos de situações reais em que o exame de holter teve sua importância destacada.

O traçado acima exemplifica do diagnóstico de fibrilação atrial através do Holter 24h em paciente com sintoma frequente de palpitação, porém sem diagnóstico da arritmia por eletrocardiograma convencional. O diagnóstico possibilitou a prescrição de anticoagulante para prevenção de acidente vascular encefálico (AVC).

 

Registro de taquicardia ventricular não sustentada em paciente portador de cardiopatia isquêmica com disfunção ventricular sistólica importante e antecedente de infarto agudo do miocárdio. O Holter 24 horas foi solicitado pelo cardiologista diante do sintoma de desmaio (síncope) e foi importante para a prevenção de morte súbita através do implante de cardioversor-desfibrilador (CDI).

 

Exame de uma mulher jovem com queixa de palpitação, havendo correlação de seus sintomas com registro de taquicardia sinusal no exame de Holter 24 horas. Nesse caso, a taquicardia foi devido a comportamento fisiológico diante de atividade física, sendo a paciente tranquilizada após sua queixa de palpitação ser esclarecida como percepção da aceleração normal da frequência cardíaca.

 

Paciente idoso, com relato tontura além de 2 episódios de desmaio no último mês. O eletrocardiograma de repouso demonstrou a presença de bloqueio atrioventricular de primeiro grau e o holter 24 horas registrou a ocorrência de bloqueio AV total de forma intermitente. Foi indicado o implante de marca-passo com resolução dos sintomas.

 

O diagnóstico de taquicardia paroxística supraventricular (TPSV) no exame de holter 24 horas é infrequente por não ser uma arritmia com ocorrência diária. Essa paciente relatava sintomas de palpitações esporádicas acompanhadas de tontura e sensação de desmaio. Em seus atendimentos anteriores não foi identificada nenhuma alteração no eletrocardiograma até que seu cardiologista solicitou o holter com registro oportuno da arritmia.

 

Paciente sob forte estresse, queixando-se de palpitação principalmente no ambiente de trabalho referidas como sensação de “solavanco no peito”. Em seu exame de holter foi diagnosticado extra-sístoles ventriculares frequentes, com períodos de bigemismo ventricular, que se correlacionou com as queixas apresentadas.

 

Avaliação do funcionamento do marca-passo através do holter 24 horas, possibilitando verificar as funções de sensibilidade e estimulação dos eletrodos além do comportamento diante das atividades diárias do paciente. O holter permite avaliar se a programação do dispositivo está adequada ao paciente ou se há necessidade de ajustes.

 

Se gostou desse artigo e se interessou pelo nosso trabalho não deixe de acessar:

Laudos para Holter à distância.