Características, benefícios e consequências dos algoritmos de minimização da estimulação do ventrículo direito por dispositivos de estimulação cardíaca artificial

Resumo: Os dispositivos implantáveis de estimulação cardíaca artificial (marcapasso definitivo, cardiodesfibrilador e terapia de estimulação multissítio para ressincronização cardíaca) têm benefícios bem estabelecidos e indicações em expansão. Diversos estudos e publicações têm demonstrado que a estimulação cardíaca artificial convencional não é isenta de efeitos adversos (dissincronia ventricular, risco de insuficiência cardíaca e mortalidade). O progresso tecnológico da eletroterapia cardíaca trouxe novos algoritmos e estratégias de programação dos dispositivos, particularmente os que minimizam a estimulação do ventrículo direito por programação do intervalo atrioventricular. Atualmente, tanto para portadores de marcapasso definitivo como, particularmente, para portadores de cardiodesfibrilador implantável, são recomendadas estratégias que explorem ao máximo a condução atrioventricular intrínseca, quando esta é confiável, com o objetivo de produzir complexos com QRS estreito, evitando as potenciais consequências deletérias da ativação artificial do ventrículo direito. Esta revisão aborda as diferenças entre sequência atrioventricular e sincronia atrioventricular produzidas por esses algoritmos, e o surgimento de um outro virtual conflito de paradigmas: permitir intervalos atrioventriculares não siológicos, gerando potencialmente dissincronia atrioventricular mas com QRS estreito, ou estimular artificialmente o ventrículo direito com intervalo atrioventricular siológico e QRS largo?

Baixar o artigo completo em PDF

Caracteristicas Beneficios E Consequencias